Estudo revela influência dos probióticos no humor

O nome “bactérias” sempre teve má reputação. A verdade é que há bactérias e bactérias, e as bactérias vivas que em alimentos como iogurtes ou suplementos, equilibram o ambiente intestinal e reforçam as defesas do corpo contra doenças são conhecidas como probióticos. E não são umas bactérias quaisquer. Entre vários benefícios, destaca-se o combate a situações de diarreia, obstipação, síndrome do cólon irritável, infecções vaginais, infecções provocadas por H. pylori (causa das úlceras), infecções urinárias e eczemas.

Falta acrescentar aqui um benefício, como alerta a psiquiatra nutricional (assim se autodomina) Caroline Wallace. Esta investigadora canadiana levou ao evento Probiota 2018 uma “nova terapêutica para pacientes com depressão”: probióticos!

Caroline explica que os tratamentos actuais para a depressão não tratam a doença, mas sim os sintomas, e acredita que os probióticos podem actuar sobre o mecanismo desta desordem que provoca os sintomas.

Probióticos e Depressão

O estudo recentemente realizado   pela investigadora foi feito com pessoas que se encontravam numa fase inicial da depressão, uma vez que Caroline considera que os probióticos serão úteis e eficazes juntamente nesta etapa. E ainda em casos de pessoas ansiosas e stressadas, muitas vezes subdiagnosticadas com depressão.

Caroline Wallace fez ainda referência a outro grupo da população que pode vir a ser beneficiada com os probióticos: aqueles que temem procurar tratamento devido a estigma ao associado à doença da depressão.

Tags
Ana Andrea Alves
Senior Nutritionist
Excellence means doing your best