A proteína é essencial para o bom funcionamento do corpo, sendo que a necessidade do seu consumo aumenta no caso de quem pratica desporto. Porém, uma das questões que se colocam é como escolher a proteína mais indicada perante a variedade de opções existentes no mercado.

A fonte da proteína é um dos primeiros fatores de distinção: fonte animal (caso do whey) ou fonte vegetal (ervilhas, grãos, arroz, extratos herbais, frutas, vegetais). É verdade que as proteínas de fonte animal oferecem uma proteína completa (ou seja, com todos os aminoácidos essenciais), mas também é correto dizer que as proteínas vegetais podem proporcionar benefícios similares aos das proteínas animais. Então, como é que escolhes?

Excelente absorção e digestibilidade

Para quem sofre de problemas digestivos, a proteína vegetal é uma opção perfeita. Enquanto, por exemplo, a proteína do soro do leite (whey) contém lactose, que nem sempre é bem-vinda no intestino, a proteína vegetal contém fibras e enzimas digestivas, que vão facilitar a digestão e a absorção.

Proteínas completas

Ao contrário da whey, nem sempre as proteínas vegetais conseguem oferecer uma proteína completa. Verifica no rótulo: é proteína completa se incluir os nove aminoácidos essenciais. São exemplos de proteínas vegetais completas, por exemplo, as V-Protein GoldNutrition.

Benefícios

Em 2015, foi publicado um estudo no Journal of the International Society of Sports Nutrition com as seguintes conclusões: quando combinada com um treino adequado, a suplementação com proteína vegetal (no caso, ervilha) promoveu um aumento maior da espessura muscular relativamente ao placebo no grupo de pessoas que realizaram um trabalho de fortalecimento muscular. Nenhuma diferença foi obtida entre os dois grupos de proteínas, vegetal vs. whey.

Ana Andrea Alves
Senior Nutritionist
Excellence means doing your best